quarta-feira, 18 de abril de 2012

Guest Post: Liberdade, nome feminino Pt.1

A Mari, professora e dona do Blog Devaneios e Desvarios, atendendo a um pedido que fiz, escreveu esse Guest Post. Nele ela fala sobre liberdade. Essa é a primeira parte e as demais serão publicadas posteriormente.



"Liberdade é pouco. O que desejo ainda não tem nome" (Clarice Lispector).

Liberdade de Imprensa, Liberdade de Credo, Liberdade Sexual, Liberdade de Expressão... Mas o que vem a ser essa palavra tão utilizada, que "não há quem explique e não há quem não entenda"? Analisemos uma definição impessoal, fria, do nosso dicionário:
liberdade
nome feminino
1. condição do ser que pode agir livremente, isto é, consoante as leis da sua natureza (queda livre), da sua fantasia (tempo livre), da sua vontade (decisão livre)
2. poder ou direito de agir sem coerção ou impedimento (liberdade de execução ou de ação)
3. poder de se determinar a si mesmo, em plena consciência e após reflexão, e independentemente das forças interiores de ordem racional (liberdade de decisão)
4. livre arbítrio
5. poder de agir sem motivo (liberdade de indiferença)
6. personificação das ideias liberais
7. tolerância
8. licença, autorização
9. figurado:  ousadia; atrevimento; familiaridade demasiada

10. figurado:  franqueza
11. [plural] regalias; imunidades;
liberdade de consciência direito de professar as opiniões religiosas e políticas que se julgarem verdadeiras;
liberdade individual garantia que todos os cidadãos têm de não serem impedidos do exercício dos seus direitos, exceto nos casos determinados pela lei;
LITERATURA liberdade poética uso de figuras e alterações morfológicas e sintáticas em poesia
(Do latim libertāte-, )


Bem, crescemos ouvindo que somos seres livres... Analisemos as três primeiras definições por hora.

1. Condição do ser que pode agir livremente, consoantes às leis da natureza, da sua fantasia, da sua vontade.
Ok. Eu posso agir livremente? Há controvérsias. Não posso sair pelada pela rua, cantando Heavy Metal às três da manhã. Faço parte de uma sociedade em que esse tipo de comportamento é inaceitável, ou pelo menos constrangedor, perturbador da ordem pública.

2. Poder ou direito de agir sem coerção ou impedimento.


Analisando o mundo em que vivemos, qual de nós pode dizer que age sem coerção ou impedimento? Temos regras na nossa sociedade, e muitas vezes hierarquias cruéis, que precisamos respeitar para continuarmos aspirando nosso ideal de... liberdade.

3. Poder de determinar a si mesmo, em plena consciência e após reflexão, e independentemente das forças interiores de ordem racional (liberdade de decisão)


Note a síntese da definição... muitas pessoas ficam na primeira parte da frase: "Poder de determinar a si mesmo" ou no parênteses: "liberdade de decisão". E esquecem o meio. Sim, o meio é importante, retomemos - eu sei que estou cansando, mas retomemos: ...."em plena consciência e após reflexão"(...)

Por que reforço esta parte da definição? Porque muitas pessoas querem liberdade, reclamam dos fardos que a vida coloca-lhes nas costas, dizem que querem ser livres! Querem tanto ser livres que rejeitam o que é bom juntamente com o que é mau para elas, ao mesmo tempo, e ficam sem norte.

Será que tudo o que fazem para serem livres, é fruto de consciência plena e reflexão? Uma pessoa que decide "ser livre", ficando em baladas, enchendo o corpo com substâncias danosas e fazendo "o que der na telha" pode ser considerada livre? Uma pessoa que escolhe o caminho do crime é realmente livre?

Muitas pessoas confundem as coisas, acreditam que a liberdade é não precisar de imposições de terceiros, nem amarras morais. Mas há a ressalva, "minha liberdade termina onde começa a do outro" Sou livre para tomar um porre, mas no dia seguinte meu corpo vai reclamar, a cabeça vai latejar e não poderei fazer o que quiser. Não serei livre para poder sair. O final da terceira definição diz: "independentemente das forças interiores de ordem racional".

Sou livre quando me desfaço de amarras interiores, não quando me rebelo sem causa.

Leia a continuação do post: Liberdade, nome feminino Pt. 2

6 comentários:

  1. Oi, Fernando.. Na próxima semana faço a segunda parte do post. Valeu pela apresentação e novamente desculpas pela demora em responder a seu convite.
    Abraços e boa sexta-feira!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que isso, eu que agradeço pelo post! :)
      Abraços

      Excluir
  2. Uma boa reflexão sobre a liberdade.
    Sempre usei esse ditame "a sua liberdade termina, aonde o do outro começa". A liberdade tem limites, tem barreiras e tem educação, caso contrário ela se transforma em libertinagem.
    Beijokas doces.

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde, Fernando.
    Acredito que cabe a cada um de nós criarmos nossa própria liberdade, sempre respeitando nosso próximo.
    Se odo mundo fizer aquilo que quiser, ninguém terá paz para fazer nada.
    Basta se respeitar para ser respeitado.
    Parece simples, mas para muita gente, é impossível.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Olá meu caro, como vai? Obrigado por nos jogar a m... quer dizer, a lenha na fogueira (já que estamos em ritmo de novo código florestal). De fato a discussão sobre a liberdade é uma das mais antigas da filosofia. Eu, particularmente, acabo por concordar menos com os metafísicos que hipostasiam uma existência ideal, transcendental e kantiana da liberdade, para dar as mãos a Jean Paul Sartre, no que diz respeito a este tema. Diz-nos Sartre que a humanidade está condenada a ser livre...de que forma? Livre na forma de escolher...isto é... toda nossa liberdade é determinada por opções de escolhas que temos, e não vai nada além disso. Nós somos obrigados a escolher, e na escolha, resume toda a nossa liberdade. Parabéns pelo teu blog, e a Mari está de parabéns, acompanho o blog dela também.

    Se puder, de uma passada no meu cafofo e uma fuçada na timeline dos posts, quem sabe você se interesse por algum título intrigante, já que percebo - olhando seus outros posts - que é afeito a uma reflexão =)

    http://fagocitandosp.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Diego! Fico feliz que você tenha gostado do meu blog e espero que continue visitando.
      Já estou lendo os posts do seu blog e achando bastante interessantes!

      Um abraço!

      Excluir