terça-feira, 2 de outubro de 2012

Vegetariano?! Mas por quê?

Primeiro devo dizer que não sou vegetariano, mas sim ovo-lacto-vegetariano. Para ser honesto eu odeio esse nome, então prefiro dizer que simplesmente não como carne. Não sou um militante, então para descobrir que sou vegetariano (ovo-lacteo) é preciso passar um tempo considerável comigo, afinal não saio por aí tentando convencer ninguém a viver como eu.


O sentido deste post é colocar meu ponto de vista, sabendo que ele representa o de muitas outras pessoas também. Não o de todas e especialmente não o dos militantes. E com a experiência de alguém que não come carne há quase 10 anos posso dizer que essa pergunta do título já me foi feita centenas de vezes. Creio que isso acontece com todos nós, então esse post também serve como esclarecimento.

Outra coisa é que eu já ouvi todas as piadas possíveis sobre ser vegetariano. Elas não me incomodam, mas saiba que quando você for fazer aquela piada “super” bem bolada, achando que está sendo original, o alvo da brincadeira já a ouviu numa quantidade angustiante de vezes. Então no caso de não conseguir resistir e vier me perguntar se pelo menos “carne mijada” eu como, até vou rir junto com você, para não te deixar sem graça, mas por dentro estarei bocejando.


Então vamos lá... Por que eu não como carne? Bastante simples. Porque ao comê-la eu contribuo de forma direta com uma indústria que existe e funciona através da morte (em geral bastante dolorosa) de outros seres. E também porque eu não preciso. O principal pilar para esse meu jeito de viver é o fato de poder ter uma qualidade de vida boa (alguns dizem que até melhor) mesmo sem me alimentar de carne. Se esse não fosse o caso e a carne realmente fosse crucial para a manutenção da minha saúde, aí eu comeria sim.

Percebam que não se trata de “amor aos animais”, embora eu goste de muitos deles. Não tenho nenhum vínculo especial com a vaca, com o frango ou com o porco. Apenas não vejo necessidade de comê-los, especialmente quando o sistema de abate vigente é bastante cruel. Na verdade nem se trata de crueldade, mas sim de ausência total de empatia. Tornou-se algo tão mecânico que o sofrimento do animal, durante a criação e no momento do abate, deixou de ser relevante.


A meu ver, no momento atual o mais importante não é o vegetarianismo, mas sim a modificação da indústria. É nesse ponto que muitos militantes divergem de mim. A maioria deles acredita que a “luta” deve ser focada em transformar a sociedade, e não acho isso pragmático, a não ser que o intuito seja fazer com que todos saibam o que estão consumindo e como aquele produto final chegou ao prato.

Penso que o mais importante agora é que a lei brasileira seja cumprida. A lei proíbe que o animal seja mantido em situação em que não possa se movimentar bem, respirar adequadamente ou receber uma quantidade mínima de sol. Também é bastante clara ao dizer que o abate deve ser rápido, sem causar sofrimento prolongado. Nada disso é cumprido. E ainda assim a legislação é vaga em diversos pontos. Então além de se fazer cumprir a lei, a mesma precisa ser aperfeiçoada.


Voltando ao cerne da questão levantada, repito: não como carne porque não sou desprovido de empatia quanto ao funcionamento do sistema em relação a isso. Me importo. Mas não se engane pensando que a minha ética ou moral é diferente da sua, pois não é. Não me atrevo nem a falar de certo ou errado, natural ou não. O que nos diferencia é a nossa atitude diante da realidade em que vivemos. 

17 comentários:

  1. Muito bom o texto, e legal você não ser todo militante em relação à isso. Acho que assim a ideia que quer passar é melhor absorvida, e a mensagem se torna mais impessoal, o que na minha opinião, favorece o entendimento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Leandro! Eu prefiro adotar um discurso mais moderado, mas gosto do trabalho dos militantes, mesmo que às vezes eu considere que eles acabam afastando aquelas pessoas que eles querem conscientizar.

      Abraço!

      Excluir
  2. Eu fiz um preparação longa pra ler esse post pensando que você ia dizer o que acontece na vida desses bichinhos.
    Muito bom e fácil de entender o post Fer=D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Obrigado pelo comentário =)

      Então, pretendo falar mais detalhadamente sobre as barbaridades que são feitas com esses animais, mas em outro post. Nesse eu queria falar de forma sucinta sobre o que me leva (e muitas outras pessoas também) a não comer carne.

      Abraço! :)

      Excluir
  3. Você toma remédios, usa cremes para a pela, usa filtro-solar, adesivos de parede, shampoo, ou açúcar? Toca algum instrumento de corda, usa pincéis dos mais variados, toma vitaminas e veste roupas (tecidos)? Você masca chiclete, acende velas quando a luz acaba? Usa detergentes, amaciantes, perfumes, desodorantes, creme de barbear e loção pós-barba? Você rabisca com giz de cera e tem as paredes pintadas com tinta colorida?

    Porque se você usa qualquer um destes produtos, você está contribuindo para a matança de animais diariamente, pois tudo o que citei possui em sua composição vários derivados do boi, como leite, couro, pêlos, casco, ossos, sangue, gordura, chifres etc etc etc.

    De nada adiante não comer carne. Mesmo se o mundo parasse de comer carne, o animal continuaria a ser abatido, pois tudo - absolutamente TUDO - dele é aproveitado na indústria. Já parou para pensar que, mesmo com milhões de abates diários no mundo, não existe sequer um cemitério de vacas em lugar algum? Porque não sobra nada da pobre coitada. Ela é totalmente desintegrada.

    Você(s) não come(m) carne, mas mata o bichinho da mesma forma!

    Então não vejo porque ser vegetariano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse argumento é muito utilizado e estou ciente dele. Mas se você estudar um pouco sobre o vegetarianismo, verá com facilidade que ele reverbera sim na indústria alimentícia e que tem o seu impacto. E o fato de usarmos algum produto que possua origem animal não anula o princípio do da causa. Mesmo assim, muitos veganos se distanciam muito desses materiais e utilizam alternativos. Mas perceba que a questão não é essa. Aliás, o post não se presta a convencer ninguém a se tornar vegetariano, mas sim dar um ponto de vista e falar daquilo que considero o mais importante: a forma como abate ocorre. Nada, absolutamente nada, justifica o que acontece com esses animais.

      Então mesmo no caso hipotético no qual o vegetarianismo não influenciasse em nada a indústria alimentícia, mesmo se a iniciativa de não comer carne, adotada por milhões de pessoas, não salvasse nenhum único animal, ainda assim a ação teria o seu significado.

      Mas mesmo que você coma carne, nada te impede de nutrir empatia e se preocupar com o que está acontecendo. Você pode comer carne e mesmo assim brigar por um abate no qual o animal não sofra. Pode comer carne e mesmo assim se importar com a forma como esses animais são criados e com o tratamento que recebem.

      E para os que dizem "ah, você não come carne, mas um pedaço daquele produto que você comprou tem origem animal", respondo que é melhor fazer algo, tomar uma posição, mesmo que ela não afete o mercado tanto quanto nós gostaríamos, do que não fazer nada.

      Abraço!

      Excluir
  4. "Mas não se engane pensando que a minha ética ou moral é diferente da sua, pois não é. Não me atrevo nem a falar de certo ou errado, natural ou não. O que nos diferencia é a nossa atitude diante da realidade em que vivemos."
    ======================================
    Minha atitude é condenar o sofrimento para os animais apoio toda lei que venha reduzir ou acabar com esse problema.
    No entanto como carne, é um excelente alimento.
    Para quem é religioso sabe que até o Deus Bíblico aceitava sacrifícios de carne.
    Para quem gosta de ciência sabe que grande parte do desenvolvimento de nosso cérebro devemos ao consumo de carne.
    Podemos alimentar um tubarão só com vegetais?
    Acredito que sim, mas com o passar das gerações ele perderá muitas de suas características.
    O homem é um ser carnívoro, se desistirmos de comer carne com o passar das gerações não acredito que nos tornaríamos biologicamente melhores.
    É muito difícil encontramos uma família que por 3 gerações tenha vivido sem carne, não conheço nenhuma tribo indígena vegetariana.
    Nosso corpo pede carne.
    Eu vejo no futuro uma humanidade com muito respeito aos outros animais, mas acabar com o consumo de carne é uma utopia a não ser que surja uma tecnologia que sintetize um alimento substituto mantendo o sabor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Willian. Então, existem muitas famílias de vegetarianos e não há qualquer indício de que o vegetarianismo afete a saúde humana, pelo contrário. E o humano é, em sua maioria esmagadora, onívoro, e não apenas carnívoro.

      O fato de a carne ter influenciado para que chegássemos ao que somos hoje não faz com que o vegetarianismo perca a sua validade, lembrando que hoje ela pode ser completamente substituída. O que você falou sobre o vegetarianismo ser danoso para o futuro da humanidade não é verdade e não encontra respaldo em lugar algum ou evidência alguma. Como eu disse, ela pode ser substituída. Mas a questão do post não é dizer o que é certo ou o que é errado, mas sim explicar o motivo pelo qual algumas pessoas não comem carne e deixar claro que a forma atual de abate deve ser profundamente modificada.


      Excluir
  5. “O que você falou sobre o vegetarianismo ser danoso para o futuro da humanidade não é verdade e não encontra respaldo em lugar algum ou evidência alguma.” [Fernando Borges]
    =====================

    “Marileise faz um alerta: criança precisa comer carne, principalmente até os 2 anos. Pode ser peixe, frango ou carne vermelha, mas somente essas opções são capazes de suprir a necessidade de ferro e vitamina B12.
    “O ferro presente nos vegetais não é tão bem absorvido, a criança pode desenvolver anemia. Além disso, ele é importante na formação do sistema nervoso central, a falta dele pode prejudicar o desenvolvimento da cognição da criança”, alerta a nutróloga. O leite também não pode faltar. “A osteoporose começa na infância. A recomendação é que a criança consuma um copo de leite por dia, pelo menos. O cálcio presente na bebida é de extrema importância para a mineralização dos ossos.” [IG]


    NOTICIA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Willian, esses alimentos podem ser substituídos. Fazer uma recomendação do que é o padrão não implica em anular outros métodos. Proteínas e vitamina B12 podem ser adquiridas de outras formas.

      E, de qualquer forma, esse trecho que você postou não serve como resposta ao trecho do meu texto que você separou. O desenvolvimento evolutivo da humanidade depende da seleção natural, tal qual ocorre com todos os outros seres vivos, então não é a origem de um alimento que vai modificar a forma como existimos atualmente.

      Abraço

      Excluir
  6. srta Nihil,do blog Terapia da Lógica12 de novembro de 2012 08:20

    Também sou vegetariana,desde o ano 2.000- por causa das histórias que ouvi sobre os matadouros,e por saber da vida "desumana" que vivem as galinhas.
    Idem,acho que há pastos demais de gado,o que encarece a comida vegetal para as pessoas.

    Não recomendo minha escolha a ninguém que não tem um pouco de conhecimento sobre saúde humana,porque passei por algumas dificuldades no início,para me adaptar.
    Idem,essa dieta não é mesmo indicada para crianças.

    Sabem o que mais me incomoda?
    Não é uma piada sobre vegetarianismo,mas é quando leio no Uol um jornalista dizer que "fulano é vegetariano. Ele só come frango e peixe."
    Fico pensando...a Humanidade está perdida...
    ...umas vezes também já me venderam pão-de-batata de catupiry,mas na verdade,era de frango.
    Isso porque os fragmentos do frango,se parecem com os do catupiry.
    E porque só agora as lanchonetes na cidade,andam percebendo que existem os consumidores que não comem carne.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Srta Nihil. Entendo como se sente e direto passo por isso. Mas sobre não ser recomendado para crianças, discordo. A criança precisa do leite materno, isso é fato. Precisa de leite. Mas no que se trata dos demais alimentos, pode sim ser criada sem carne e se desenvolver de forma totalmente saudável. Claro que tudo isso precisa ser substituído.

      Então acho que cada pai deve refletir sobre o que é melhor para a saúde e criação dos seus filhos. Se eu tiver filhos, não pretendo impor nada nesse sentido. Não haverá qualquer pressão e eles poderão comer carne se quiserem.

      Excluir
  7. “Também sou vegetariana,desde o ano 2.000- por causa das histórias que ouvi sobre os matadouros,e por saber da vida "desumana" que vivem as galinhas.” [Nihil]
    ============================
    As pessoas não comem carne por IDEOLOGIA.
    A não ser essas crianças que são OBRIGADAS a dieta imposta pelos pais todos os outros vegetarianos comeram carne até parte de suas vidas.
    Deveríamos concentrar nossos esforços em não provocar sofrimento aos animais, mas ficamos querendo negar o óbvio, nosso aparelho digestivo foi feito para digerir vários tipos de alimentos, carne é parte integrante de nossa alimentação, quem não concorda reclame para Deus ou para Natureza.
    Se eu pudesse optar viveria de luz, mas não é uma dieta indicada para humanos...

    ResponderExcluir
  8. 1 - Willian, esses alimentos podem ser substituídos. Fazer uma recomendação do que é o padrão não implica em anular outros métodos. Proteínas e vitamina B12 podem ser adquiridas de outras formas.

    2 - E, de qualquer forma, esse trecho que você postou não serve como resposta ao trecho do meu texto que você separou.

    3 - O desenvolvimento evolutivo da humanidade depende da seleção natural, tal qual ocorre com todos os outros seres vivos, então não é a origem de um alimento que vai modificar a forma como existimos atualmente. “Fernando Borges”
    =====================================
    1 – Não sei em que mundo você vive, mas aqui no meu nem todos comemos visando apenas as necessidades nutricionais, comemos pizza, sorvete, churrasco e bebemos refrigerantes porque é gostoso. Tomar pílulas de vitamina B12 é meio sem graça.

    2 – Não estou “respondendo” ao seu texto, estou “comentando”. Você deixou claro que seu objetivo foi dizer porque não come carne, usando a Dialética meu objetivo foi dizer porque eu e muitas outras pessoas comemos carne.

    3 – A seleção natural nos levou a consumir carne a grosso modo somos o que comemos. Os Sapiens carnívoros nunca foram dominados por Sapiens vegetarianos.
    Como eu disse sua ideologia não se sustenta cientificamente.
    Você decidiu não comer mais carne... tudo bem.
    Mas seu cérebro foi formado com você comendo carne agora é fácil dizer que não precisa dela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Willian, você não precisa repetir tudo o que eu disse, basta responder diretamente no meu comentário.

      Eu vivo no mesmo mundo que você e, assim como qualquer um, também quero comer coisas gostosas E como coisas gostosas todos os dias. Ou pensa que vivemos apenas de pílulas??? Aliás, a alimentação vegetariana é extremamente diversificada. Já foi a um restaurante vegetariano?

      Você tentou argumentar que não comer carne afetaria a evolução da humanidade e eu disse que isso estava errado. A seleção natural apenas SELECIONA mutações espontâneas que são mantidas quando elas são úteis no ambiente em que o animal vive, e isso acontece porque o animal se reproduz e passa para a geração seguinte a característica que é eficiente para a sobrevivência da espécie. Isso é seleção natural.

      Não faz o menor sentido dizer que minha "ideologia" não se sustenta cientificamente. Nós podemos viver de forma 100% saudável mesmo sem comer carne, isso é fato. Como eu disse no texto (espero que você tenha lido) eu fui claro ao falar que nem me atreveria a dizer que o ato de comer carne não é natural. Nosso organismo é preparado para comer de tudo, por isso somos onívoros. Minha "ideologia" estaria errada se eu tivesse dito que o humano é em essência herbívoro, coisa que eu não disse em momento algum. Nós somos seres bastante diversos e a nossa cultura influencia muito em tudo o que fazemos, então um tipo ou outro de alimentação não está indo "contra a ciência". No final das contas, a única coisa que importa é que mantenhamos a nossa saúde.

      Excluir
  9. 1 - Willian, você não precisa repetir tudo o que eu disse, basta responder diretamente no meu comentário.

    2 - Não faz o menor sentido dizer que minha "ideologia" não se sustenta cientificamente. Nós podemos viver de forma 100% saudável mesmo sem comer carne, isso é fato. [Fernando Borges]
    ===========================
    1 – Como eu disse a primeira vez que participei desse Blog não disponho de muito tempo outra coisa que posso dizer é que minha memória não é boa. Repetir o que a pessoa disse não é para ela é para mim. Como passeio por alguns Blogs acabo perdendo o fio da meada, em que ponto a conversa estava. Algumas participações interessantes eu deixo registradas no meu Blog para que o leitor de lá se inteire do assunto.

    2 – Foi um ótimo debate, não vou continuar com esse assunto. As argumentações foram bem defendidas e cabe a quem leu reformular suas próprias opiniões ou mante-las.
    Fico grato pela companhia de todos, nos vemos no próximo assunto...
    Um excelente dia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Okay. Mas você pode ir ali embaixo do meu comentário e clicar em "Responder", aí fica mais organizado.

      Um excelente dia pra você também!

      Excluir